Archive for misc

Casa nova

Estou de casa nova e por isso alguns artigos e textos ficam na fila para publicação.
Mas tudo isso é por causa da correria louca, tanto com a pós quanto com o novo local de trabalho. Para quem não sabia, estava há um bom tempinho na Rae,MP, onde fiz muitas amizades, trabalhei e aprendi muito.
Já no início de julho deste ano, mudei de casa indo para a R.E.F Comunicação, um lugar que estou achando bem legal com pessoas boníssimas e muito profissionais. Há tantas coisas a serem feitas e talvez seja por isso que não esteja conseguindo escrever aqui no blog, no Quick Drops, e muito menos no Yokoso News.

Eu estou doida pra voltar a postar com melhor frequência, nem que seja daqueles meus textos loucos “notionless” XD

Aquela seçãozinha do blog continua lá (ou aqui: http://marinamizioka.com/?page_id=1197, sempre atualizada, com o belíssimo trabalho das assessorias de imprensa, a quem sou muito grata também.

Before it all happens

When Christmas days are over, it´s time to get ready for New Year´s Eve.

Most of young Japanese descendents living here in São Paulo (Brazil) are sadly forgetting those traditions that their grand or greatgrandparents had for this time of year. On the other hand, we feel that each year, Japanese culture is being spread around the city by stores, restaurants, buildings, companies´ presence.

So, what do Japanese Brazilian wish for New Year? Same things that everybody in the world do, and that is peace, prosperity, money, love, health…
But almost all families prepare at least one Japanese dish for supper before New Year, it can be sushi, nishime, onigiri, sashimi, udon and so on. But they are also served with other Brazilian food and champagne to celebrate New Year. That´s why Liberdade (our “Little Tokyo”) receives lots of visitors every single day, especially in this time of year. And grocery stores get so crowded, you feel you can´t even move. People are buying all ingredients for their traditional Japanese recipes.

One thing they also buy is the famous mochi! On January 1st, they believe that eating it fried (with shoyu and sugar) or cooked (as part of the ozoni soup) as the first meal of the day, they will have luck and health for the whole year.

Lots of Japanese restaurants serve the ozoni soup in the beginning of the year for their traditional customers, just like Sushi-Yassu (http://www.sushiyassu.com.br), as sushiman Sérgio Nakamura explains. He says that in 2012, the restaurant will be open on Tuesday (Jan 3rd) and they will serve ozoni soup only for the week, since it´s not every client that order it and tourists are more interested in sushi.

On January 1st, still at Liberdade, they prepare a square area with some “usu” and “tsuchi” for the mochitsuki. A huge line of people (mostly Brazilians interested in the culture) is formed around this square for them to take home some mochi pieces for free.
Being Japanese descendent or not, the most expected moment is watching fireworks with our families or friends, hugging and wishing each other a wonderful New Year ahead.

Sushi Yassu at Liberdade and the sushiman, Sérgio Nakamura

Este é um artigo escrito para o portal Yokoso News.

Crônica de um cara nas redes


Upload feito originalmente por Keoki Seu
 

A manhã começa com um tweet “Bom dia, pessoal! o/”

Logo, parte de seus 1.000 seguidores já notaram seu bom humor, mas também já o aguardam com um sorrisinho irônico, pois sabem que esse seu sentimento é efêmero e em algumas horas, você estará recebendo retweets de seu sarcasmo no final da tarde, geralmente quando todas as bombas costumam estourar.

Você vai até a padaria, pede um pão na chapa e um cafezinho, enquanto dá check-in pelo Foursquare e curioso, fica imaginando quem é o João Carlos que reina absoluto como mayor daquele local.

Você não costuma usar mais o Orkut, mas faz tanto tempo que não checa os aniversários de seus amigos que resolve acessar tal rede naquele momento mesmo, enquanto o pão na chapa ainda não vem no balcão. Ah, seria tão bom se todos seus amigos estivessem em boa parte das redes como você, não? E cada vez mais, você torce o nariz quando vê que há muita resistência de alguns de seus amigos se contentarem somente com o Orkut.

Depois da padaria, você enfrenta o caótico e parado trânsito das manhãs paulistanas e enquanto aguarda a luz verde do semáforo, nota um Papai Noel (ou alguém parecido) no fusquinha simpático ao seu lado, com suspensório de renas bordadas. Não há tempo a perder, o semáforo pode abrir a qualquer momento, você imediatamente saca o celular e tira uma foto para subir imediatamente ao Twitpic e ao seu Facebook com o texto “Crianças, com este trânsito dos infernos, até Papai Noel pode atrasar um pouco”.

E já que o trânsito continua parado, aproveita para ler as últimas notícias pelo Twitter. Por precaução, reforça seu último tweet do Twitpic, informando que chegará atrasado no trabalho.

Check-in no local de trabalho porque pelo menos neste lugar, você é mayor e é bom fazer tal manutenção sempre, já que você ainda corre atrás do badge para mayor de 50 locais.

Enquanto checa o restante dos e-mails, acaba pesquisando no slideshare algumas apresentações que falam sobre aquele detalhezinho que falta em seus relatórios.

Um e-mail anuncia que 4 colegas dos tempos de faculdade estão pedindo sua permissão para se conectarem pelo LinkedIn. Em paralelo o que você se encontra fazendo, abre uma aba do browser para ver onde este pessoal está trabalhando. Fica feliz pelo sucesso de alguns deles em terras germânicas e enquanto caminha pelo corredor para pegar um cafezinho na copa, se lembra das músicas que ouvia durante o mochilão de muitos anos atrás em terras distantes, mas esta sensação de satisfação dura pouco quando encontra o tiozinho da TI, que já tinha histórico de discussão com você, principalmente quando separava e ouvia algumas músicas pelo Grooveshark no escritório.

Enquanto monta uma apresentação para a próxima reunião, lembra que ficou de almoçar com um colega, ex-vizinho de prédio, mas onde está o telefone dele? Bom, ele fez a gentileza de deixar registrado seu número no perfil do Facebook. Ufa, pelo menos dá para avisar que aquele outro restaurante seria melhor, não só para conhecer mas também porque você acabou comprando um almoço pelo Peixe Urbano.

A foto tirada no almoço com seu amigo e marcada por você mesmo no Facebook, já rendeu piadinhas e comentários de seus amigos, dando direito a vários “curtir”. Não adianta, você poderá esperar algumas perguntinhas bobas pelos seus amigos no Formspring.

A recepcionista vem toda feliz entregar umas cartas e revistas que chegaram, e comenta que seu filho super inteligente e esperto está com uma fazenda super mega gigante com muitos porquinhos, casinhas e plantações.

E o stress das bombas estourando começam a tomar conta de você no final da tarde, fazendo-o twittar coisas irônicas para não dar nome aos bois. Em segundos, você se sente um pouco injuriado por não ter sido escolhido via Sorteie.me para receber um par de ingressos do show daquela banda que tem até uma playlist própria em seu YouTube.

No trânsito de volta para casa, dá uma olhada no carro da frente, que adesivou o endereço MySpace de sua banda (talvez?) no vidro traseiro. Bom, a gente se vira como pode, né?

Durante a transmissão do jogo do seu time, twitta fervorosamente, afinal você quer mostrar uma de suas maiores paixões coletivas. E a última penalidade máxima desta partida entrou para os TTs (trending topics) mundiais do Twitter.

Antes de apagar, sente que Deus ainda existe, aquela pessoa que tanto importunava com cantadas inapropriadas, acabou de alterar seu perfil do Facebook, mencionando que está em um relacionamento sério.

#fim

Nota: este texto também pode ser conferido em:
http://maximidia.mmonline.com.br/portal/noticia/Geracao_Z__os_nativos_digitais

Rio

Ahahahahahahah, você realmente acha que esse “eco-muro” vai realmente bloquear a construção de mais barracos nos limites da favela??
Os blocos vão sumir e vão servir de material para mais casas.

Às vezes eu acho que tem gente que não tem noção da realidade.

Hora do Planeta

Às 20:30, será interessante olhar os prédios pela janela.
São Paulo é uma das cidades que está participando desta mobilização.
Vc vai participar?

Saqueando tomates


tomates 

Upload feito originalmente por teverdeconlimon

Hoje de madrugada, um caminhão cheio de tomates tombou numa avenida bem movimentada de São Paulo.
O repórter da Globo chegou e entrevistou, além do motorista, os saqueadores. Estes últimos responderam o óbvio, como vc pode imaginar.
Oras, num momento em que vc tem a grande massa trabalhadora (chão de fábrica) também afetada por estas demissões, seja morando em barracos (sim, pq ao longo desta avenida, conseguimos ver váááários barracos) ou não, qualquer tomatinho que caia de um caminhão acaba sendo disputado aos tapas.
Havia senhoras com carrinhos de feira não sabendo mais onde colocar tomates de tão cheios que já estavam.

É a mesma coisa quando surge “uma” vaga boa em qualquer lugar, fazem filas, chovem e-mails, os velhos amigos surgem, tudo pode ocorrer sutilmente ou “na cara” mesmo.
Não deixam de ser os mesmos “saqueadores de tomates”.

Put yourself up

Tem aquela música que a Diana Krall interpreta:

“… Don’t lose your confidence if you slip
Be grateful for a pleasant trip
Then put yourself up
Dust yourself off
And start all over again”

O que mais estamos vendo estes dias é a palavra “demissão”, “desemprego”, etc.
Mas é uma boa hora para refletir (rápido) e arrumar o que está errado em sua vida… talvez seguir outro rumo, talvez focar em outra coisa. É o único momento que vc tem para realmente reiniciar as coisas, assim, zerado. É arriscar.

Mas mesmo que vc esteja empregado e queira dar um novo rumo, reinicie também, nada é complicado, só fica complicado pq vc começa a pensar nos problemas. Tudo é muito fácil, tudo pode ser bem direto, bem objetivo, basta focar e seguir em frente. Não te garanto que depois disso, vc seja amigo de todos. Quando se quer agradar a todos integralmente, vc PODE não fazer todas as suas tarefas do jeito que vc queria.
Mas vai de outras pessoas ao redor compreender esse seu esforço voltado para tarefas ou para pessoas.
Não existe uma pessoa no mundo que seja 100% um ou outro, impossível, elas ficariam miseráveis financeiramente ou miseráveis sentimentalmente, todas estas levando a uma morte.

Put yourself up, dust yourself off and start all over again. É isso aí.

today

Hoje tivemos duas ótimas palestras no curso de Inovação na ESPM, a primeira foi sobre mobile marketing (pelo Leo Xavier), soh sei q terei que falar com ele ainda. Outra com quem precisarei muito falar é a Martha Gabriel, excelente, “metralhou” (falou absurdamente rápido) sobre SEO e SEM, tentarei ler aqueles livros mencionados durante a palestra.

Agora “o site” estah dependendo de mim para ir pro ar, preciso terminar logo aqueles textos e imagens do portfólio. Aviso aqui quando estiver td ok.